Shigeo Fukuda

Shigeo Fukuda nasceu em Tóquio, em 1932 e infelizmente faleceu em 2009, em decorrência de um ataque cardíaco. Filho de uma família de fabricantes de brinquedos, desde pequeno gostou de se aventurar na arte do origami e quando mais velho, se graduou no Departamento de Design da Universidade Nacional de Belas Artes e Música de Tóquio, em 1956.
Fukuda atuou principalmente como designer de cartazes e escultor. Foi o primeiro designer japonês a ser reconhecido e incluído no New York Art Directors Club Hall of Fame, uma das mais famosas organizações de profissionais do design e da indústria criativa (que conta com nomes como Andy Warhol, Paul Rand e Walt Disney em seu “hall da fama”).
Seus trabalhos são fortemente influenciados pelo Estilo Internacional Suíço, pela precisão dos traços, clareza das mensagens e tipografia de alta legibilidade. Ganhador de inúmeros prêmios, seu primeiro trabalho ganhou destaque em uma premiação na Tchecoslováquia em 1966. Um ano depois, seus cartazes foram encomendados pela organização da Expo 67 de Montreal, tornando sua produção conhecida.
Durante a década de 1960, Fukuda começou a se interessar pelo ilusionismo e o empregou com maestria em seus pôsteres. O designer era consciente de seus deveres como cidadão e era profundamente ligado as causas sociais e culturais. Sua originalidade visual unia a expressividade do design japonês às exigências das comunicações de um mundo globalizado.
Seu cartaz mais célebre, intitulado Vitória 1945, é uma crítica feroz a falta de sentido das guerras. É uma ilustração de um canhão com seu disparo voltando para si, o selando para sempre. Um exemplo claro das mensagens presentes nos cartazes de Fukuda, de formas simples recheadas de sátiras. Este trabalho foi ganhador do Concurso de Cartaz de Varsóvia de 1975 e o designer destinou todos os ganhos para a Peace Fund Movement, um movimento em prol da paz.